Pedro Mantorras visita a escola onde aprendeu a ler e a escrever

Corria o ano de 2002, quando, a convite da Sicasal e patrocinado pela marca, o futebolista Pedro Mantorras, viajou até Angola, ao bairro de Sambizanga, numa manhã repleta de emoções, visitando sítios que lhe eram muito queridos, convivendo com amigos e familiares e recordando situações da sua vida.

O jogador angolano foi homenageado com a entrega de seis mil latas de produtos Sicasal, distribuindo-as, depois, pelos locais onde nasceu e cresceu.

O bairro de Sambizanga e em especial a Escola 416 do 1º nível foi o local escolhido para dar início à campanha e à oferta de chapéus e camisolas. Seguiu-se o Lar do Padre Horácio, uma instituição que acolhe miúdos da rua, e por último o Lar Kusola.

Quando Mantorras chegou foi o delírio. Os miúdos não se cansaram de aplaudir e gritar pelo nome do seu ídolo. Bem perto da escola onde decorreu a entrega dos produtos ficava a antiga casa de Mantorras e um pouco mais longe o improvisado campo de futebol onde o internacional angolano deu os primeiros pontapés.

De emoção em emoção, o futebolista exprimiu a felicidade que o invadia por estar a pisar o local onde aprendeu a ler e a escrever e agradeceu à Sicasal a oportunidade que lhe foi propiciada para poder transmitir esta alegria aos seus conterrâneos e ao mesmo tempo por rever amigos de infância.

Em 2008, a Sicasal volta a patrocinar Mantorras e este regressa ao bairro onde nasceu. Do Benfica, o futebolista levou canetas, posters e blocos, e do seu patrocinador (Sicasal) bolas de futebol e latas com comida. Miúdos e adultos parecem não acreditar no que lhes está a acontecer e, se uns ficam felizes apenas porque viram o craque da bola, outros lembraram o essencial: a fome. Diziam: “Eu quero é salsichas”.